quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Apresentação Plano de Governo #Luizianne13 parte 1

Plenária do PT Fortaleza - Sexta 18 horas

Eleições em Fortaleza: Convide seus amigos e familiares. Traga todo mundo pro lado de quem fez mais pela nossa cidade e ajude a construir a Fortaleza de toda gente. Vem com a gente rumo à vitória! Confirme sua participação no evento: https://www.facebook.com/events/1231915696873848/ #AFortalezaDeTodaGente #Luizianne13

Programa de TV - O povo tá com a Lôra

Ator Carri Costa apoia Paulo Assunção 13654

Paulinho Oliveira 13531 conquiste mais 13 votos

Marta e a ‘agenda maldita’ de Temer. Que dó!

Por Altamiro Borges
A senadora Marta Suplicy, recém-filiada ao PMDB do golpista Michel Temer e do correntista suíço Eduardo Cunha, parece que está colhendo os amargos frutos do seu oportunismo eleitoral e da sua inconsistência política. Segundo todas as pesquisas de opinião, ela despencou na disputa pela prefeitura de São Paulo e pode até ficar em quarto lugar na eleição deste domingo (2). Diante da eminente tragédia, a traíra aparentemente caiu no desespero e já tenta justificar o seu fiasco, segundo uma nota publicada na coluna Painel da Folha desta quarta-feira (28):
“A campanha de Marta Suplicy culpa a ‘agenda maldita’ do Planalto, aliada à exploração da relação da candidata com o presidente Michel Temer, por sua queda nas pesquisas. ‘É todo dia uma manchete ruim’, diz um general do staff da senadora”. A notinha do jornal serrista ainda apimenta a cizânia: “Bateu, levou – A recíproca é verdadeira: ministros do PMDB já vislumbram o desgaste para o Planalto caso Marta Suplicy chegue ao fim do primeiro turno atrás de Fernando Haddad”. Pelo jeito, o convívio no covil golpista não será nada tranquilo após a votação deste domingo!
Marta Suplicy deixou o PT após mais de 30 anos de filiação à sigla e depois de galgar vários cargos públicos com o apoio, inclusive logístico, da legenda – foi prefeita da capital, senadora e ministra nos governos petistas. Para a felicidade da mídia venal e do seu dispositivo partidário, ela saiu atirando contra a sua antiga sigla, acusando-a de ser uma “organização corrupta”. Nos seus artigos semanais na Folha tucana e nos seus pronunciamentos no Senado, ela fez questão de se posicionar como uma líder do golpe do impeachment contra a presidenta Dilma. 

Vote Paulo Assunção 13654 e Paulinho Oliveira 13531 - PT Fortaleza

“João Dólar” será cassado? Tucano é santo!

Por Altamiro Borges
Nesta segunda-feira (26), o Ministério Público Federal entrou com ação contra a chapa do tucano “João Dólar Jr.” à prefeitura de São Paulo. O promotor José Carlos Bonilha pediu à Justiça Eleitoral a cassação da sua coligação e também a inelegibilidade do governador Geraldo Alckmin por abuso de poder político. Se a drástica solicitação fosse contra um candidato de esquerda, a mídia chapa-branca teria feito o maior escarcéu. O assunto seria manchete dos jornalões e motivo de ácidos comentários dos “calunistas” de rádio e tevê. Mas como atinge o empresário-picareta do PSDB, a maior parte dos eleitores paulistanos nem ficou sabendo da ação do MPF. Afinal, todo o tucano é santo, segundo a visão distorcida e seletiva da imprensa amiga.
No pedido da cassação, o promotor citou vários casos de abuso do poder político. Lembrou que o governador exonerou a sua secretária de Meio Ambiente e nomeou Ricardo de Aquino Salles, ligado ao Partido Progressista. Em troca, a chapa de João Doria recebeu apoio do PP, aumentando em 25% o seu tempo de rádio e tevê. “Na nossa avaliação, isso caracteriza um desvio de finalidade. A secretaria foi dada procurando atender a interesse político-partidário, e não de acordo com o interesse público”, afirma José Carlos Bonilha. Ele também relatou a participação do governador em atos de campanhas antes da oficialização da candidatura. “O Alckmin saiu visitando comunidades em São Paulo, especialmente Paraisópolis, se deixando fotografar, interagindo com a comunidade. Portanto, fazendo ato de campanha. O governador, como chefe do Executivo, tem que manter neutralidade em relação aos concorrentes”.
O promotor também criticou o uso na campanha tucana do slogan “Acelera São Paulo”, marca de u programa da secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação de São Paulo. “Esse slogan foi apropriado pela coligação e não é possível que a ela tenha o nome de uma marca, um símbolo, uma imagem ou um slogan de um ente público. A lei eleitoral proíbe expressamente. Isso é crime eleitoral”, garante. Vários dos casos citados pelo MPF foram apontados por setores do próprio PSDB, que até hoje não engoliram a imposição do nome do empresário-picareta, apadrinhado de Geraldo Alckmin. Ainda de acordo com o promotor, se a ação for julgada procedente, mesmo após uma eventual vitória eleitoral de “João Dólar”, o seu diploma poderá ser cassado.
Conhecendo o histórico do Judiciário de São Paulo – que mais se parece com um poleiro tucano –, tudo indica que a ação do promotor José Carlos Bonilha não vai dar em nada. O que só reforçará uma chacota que circula há muito tempo nas redes sociais: basta de filiar ao PSDB para não ser processado, investigado, condenado e, muito menos, preso! Afinal, os tucanos são santos – protegidos por Deus, pela Justiça e pela mídia chapa-branca! 

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Para o ‎procurador Deltan Dallagnol ficar sabendo

Por Cartaxo de Arruda Jr, Diretor do MOVA SE e
Fátima de Deus, Professora, Ativista. Integrantes do NDD
Senhor Procurador andei lendo que você disse: “Quem veio de Portugal para o Brasil foram bandidos e criminosos...” Menos meu caro deixe de ser coxinha a esse ponto, seu complexo de vira lata esta virando síndrome e lhe deixando cego. Quem veio de Portugal para o Brasil meu lord foi “a fina flor do abacateirol”, a nata da nobreza de sangue azul de toda a Europa que se refugiou em Portugal fugindo de Napoleão veio parar no Brasil, assim Napoleão pode dizer: “Eu sou a Europa”, isso sim, nada de bandidos criminosos. Como você se deixa enganar pelos invejosos americanos!?
A requintada nobreza europeia veio parar no Brasil e fizeram aqui o maior e único Império do Novo Mundo enquanto o seu querido EUA não passavam de meras treze colônias. O Brasil se transformava na segunda maior frota naval do mundo e na quarta maior economia do planeta e mais, fomos nos que sustentamos a Inglaterra na guerra contra Napoleão e se for prestar atenção você vai ficar sabendo que o ouro e as pedras preciosas da coroa inglesa foram surrupiados das nossas Minas Gerais.
E digo mais, fique sabendo que o ministro Guido Mantega, que você tirou da sala de operação da sua esposa para prender, pagou os 40 bilhões de dólares que devíamos ao FMI transformando o Brasil de devedor em credor do Fundo, além de acumular mais de 370 bilhões de dólares em reservas financeiras nos fundos internacionais reservas estas que só  perdem para as da China e com 3 vezes mais reservas que os EUA transformando o Brasil da 17ª para a quinta maior potencia econômica mundial. Além de contribuir para tirar 40 milhões de brasileiros da miséria nos governos Lula e Dilma. 
Esse Golpe não vai se manter e como disse Darcy Ribeiro “Eu não quero estar no lugar dos que nos venceram”. Estamos nas ruas e o usurpador Temer já não consegue assistir o Wood Allen em Nova York sem ouvir o Fora Temer. Não consegue sair de casa, nem dos palácios. Vamos defender os BRICS, um Banco dos países do terceiro mundo melhor que o FMI, manteremos o MERCOSUL e o Brasil será o pais do futuro. 
A farsa que você encerra não vai perdurar por muito tempo não seu entreguista mequetrefe.

Jandira Feghali e Lula no Rio de Janeiro

Jandira Feghali e Lula agora em Bangu, em campanha para Jandira prefeita do Rio de Janeiro!




segunda-feira, 26 de setembro de 2016

O papel da mídia brasileira no Golpe

Professora Luiziana vota #Luizianne13

Professor João Barbosa vota #Luizianne13

#Luizianne13 : Os Coronéis não são donos de Fortaleza

O aprofundamento do Estado de Exceção

Por Luis Nassif, no Jornal GGN:
Peça 1 – o cenário provável
Traçar cenários é tarefa complexa.
O ponto inicial é identificar a tendência da onda do momento e o que poderá acontecer se não surgir nenhum elemento novo, anticíclico, capaz de contê-la. Em geral, esse tipo de cenário serve de alerta, ajudando a estimular forças contracíclicas quando se quer prevenir desastres. Mesmo assim, nações entram na onda fatal, no que cientistas sociais denominaram de “era da insensatez” e vão para o buraco, sem que nenhuma força contra cíclica consiga segurar a queda.
Neste momento, há duas tendências de consolidando, uma de forma mais evidente, outra de forma mais tênue.
Tendência 1 - o aprofundamento do estado de exceção.
Tendência 2 – o início do processo de fritura do governo Michel Temer pela aliança Globo-Lava Jato-PSDB.
A eventual queda da camarilha dos 6, ao contrário das visões mais otimistas, significará um aprofundamento da repressão.
Vamos por partes.
Peça 2 – o aprofundamento do Estado de Exceção
Ao contrário dos golpes militares, nos golpes judiciais o estado de exceção se impõe por etapas. Muda-se o patamar da legalidade aos poucos, através de episódios centrais, que muitas vezes passam ao largo da opinião pública.
No caso brasileiro, as etapas do estado de exceção são nítidas:
1o Passo – a condução coercitiva de Lula e o vazamento dos grampos entre ele e Dilma.
2o Passo – o fato do Ministro Teori Zavascki, do STF (Supremo Tribunal Federal), ter reconhecido a ilegalidade dos vazamentos, mas não adotado nenhuma sanção contra o juiz Sérgio Moro.
3o Passo – a profusão de prisões preventivas, culminando com os argumentos invocados para a prisão do ex-Ministro Guido Mantega, sem que se vislumbre nenhuma força capaz de impedir a escalada de arbítrio.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Reforma no Ensino Médio: uma cilada autoritária para privatizar a educação


O governo golpista de Michel Temer editou hoje Medida Provisória com um pacote de reformas para o Ensino Médio sob a justificativa da necessidade de reduzir a elevar evasão e a qualidade nessa etapa da Educação Básica.
Uma proposta de transformação profunda na educação do país, sem dúvida, mereceria grandes debates, envolvimento da comunidade escolar e das universidades de todo país. Entretanto, o que se vê é mais um retrocesso em relação aos processos e às conquistas democráticas. Não se melhorar a qualidade da educação por meio de uma Medida Provisória, um instrumento que revela apenas o caráter profundamente autoritário dessa reforma. A formulação de políticas educacionais precisa avançar mediante aprofundamento do tema com a participação dos diversos segmentos sociais, de forma a contemplar a pluralidade e a diversidade de ideias.
Um dos pontos mais controversos dessa reforma diz respeito à organização curricular em áreas de conhecimento, com a primeira parte comum a todos os estudantes e a segunda específica segundo a escolha do/a estudante por uma das áreas de aprofundamento - linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica profissional. A retórica reformista é a flexibilização e o enxugamento de conteúdos de acordo com os percursos formativos. Porém, na prática esse modelo visa apenas à redução. O objetivo central da reforma está mais relacionado à lógica do mercado do que à expansão das fronteiras do pensamento.
Eis a cilada! Ao descartar grandes parcelas de estudantes do acesso pleno às diversas áreas do conhecimento, há uma condução para a formação técnica. A estruturação dessa oferta será feita por meio de contratos com organizações privadas de educação profissional. Os governos passam a comprar vagas nos cursos técnicos, reduzir quadro de profissionais da educação e abrir espaço para a atuação de empresa privadas. Certamente, essa reforma afetará as camadas sociais mais desprivilegiadas, que ficarão submetidas a um ensino meramente instrumental, modelo que se opõe e se impõe sobre uma concepção integrada do currículo escolar. Essa imposição compromete o princípio constitucional da igualdade de condições de acesso e permanência e de alcance dos níveis mais elevados de ensino.